Suas aplicações são seguras?

Conheça a Conviso!

Segurança de aplicações: investimento ou custo?

Um dos mais antigos e ainda frequentes debates acerca da Tecnologia da Informação já perdura por anos e vem transcendendo as fases evolutivas do próprio mercado: investir em segurança de aplicações é uma boa empreitada para o negócio, ou somente mais uma despesa?

O mercado da TI vem apresentando evolução constante na sua vertente da Segurança da Informação. Junto às novas técnicas, tendências e riscos que surgem no mercado, reforça-se o que pode ser considerado um dos maiores desafios de engenheiros de segurança se software: a segurança de aplicações e sistemas.

Confira neste artigo porque investir em segurança da informação é imprescindível para manter a sua empresa competitiva no mercado.

Como lidar com o alto custo da vulnerabilidade?

Bom, ainda não estamos falando de custos tradicionais, isto é, os salários dos seus engenheiros de segurança e os recursos computacionais que eles utilizarão para corrigir as vulnerabilidades da sua aplicação. O custo que abordaremos neste tópico é o mais alto de todos: a credibilidade da sua empresa.

O principal recurso gerador de receita de uma empresa é a informação, que uma vez comprometida ou perdida depois de um hacking bem-sucedido, perde grande parte de seu valor. Nessa situação, sua empresa será multiplamente prejudicada, politica e financeiramente.

Processos judiciais por vazamento de informação sensível, perda de clientes por falta de confiança nos serviços, perda de credibilidade no mercado, baixa nas vendas e perda de novos negócios em virtude da falta/exposição de informação valiosa são alguns dos preços cobrados pela ideia de que TI é somente despesa.

E o que essas complicações têm em comum? Todas elas reduzem consideravelmente o lucro da sua empresa, de diversas maneiras.

Como sobreviver em um cenário cada vez mais exposto a riscos?

O mercado da Segurança da Informação dispõe de diversos exemplos de como um ataque hacker bem-sucedido é capaz de prejudicar uma organização.

O Yahoo, por exemplo, sofreu um crime cibernético recentemente, que expôs dados de aproximadamente 500 milhões de contas. Dentre esses, estão nomes e senhas de usuários, números de telefones e mensagens.

A gigante de buscas está financeiramente mal, com sua credibilidade comprometida e com sua venda em negociação com a Verizon. O ocorrido, aliado a outros ataques ocorridos em anos anteriores, ocasionou a diminuição da oferta de compra: agora, a Verizon quer pagar R$ 1 bilhão a menos pelo Yahoo.

Entrando agora na esfera do e-commerce: tente mensurar o quanto uma gigante de vendas como a Amazon ou o Mercado Livre seriam prejudicados caso um ciberataque deixasse seus e-commerces fora do ar por uma hora.

Segundo um levantamento realizado pela Google em 2015, em datas especiais — como a Black Friday — um período offline de 1 hora faz um e-commerce perder cerca de 300 mil acessos, o que, em termos monetários, resulta em R$ 1,5 milhão de reais não vendidos.

Como se adaptar e aprender com o mercado?

A segurança de aplicações deve ser uma das principais preocupações dos engenheiros de software neste próximo ano, para o qual está previsto um crescimento de aproximadamente 57% nas atividades criminosas cibernéticas.

É necessário utilizar tecnologias e metodologias eficazes no desenvolvimento de aplicações para assegurar a integridade dos dados e manter-se no páreo em um cenário cada vez mais complexo e exposto a riscos.

A sua organização está preparada para as mudanças de mercado e os riscos que vêm pela frente? Que tal ficar a par do melhor conteúdo sobre segurança de aplicações? Acompanhe-nos nas redes sociais — Facebook, Twitter, Youtube e LinkedIn — e fique por dentro de tudo!

Deixe um comentário

topo
%d blogueiros gostam disto: