Suas aplicações são seguras?

Conheça a Conviso!

Segurança para aplicações mobile. Saiba como investir.

As aplicações mobile entraram no foco dos especialistas de segurança há poucos anos e rapidamente tornaram-se um dos principais pontos de uma política de privacidade e segurança de dados forte. Hoje, smartphones são utilizados para verificação de dados bancários, transferências monetárias, envio e recebimento de dados sigilosos e armazenamento de arquivos sensíveis. Saiba mais sobre os riscos e as boas práticas de segurança para aplicações mobile:

Os principais riscos de segurança para aplicações mobile

Até alguns anos atrás, poucas pessoas falavam na necessidade de termos bons controles de segurança durante o desenvolvimento de aplicativos para smartphones. Como o número de usuários e de ameaças era baixo, criminosos virtuais davam preferência a computadores. Entretanto, muitas ameaças que antes eram restritas aos PCs já estão presentes no mundo mobile, onde pessoas realizam uma série de operações envolvendo dados financeiros e sensíveis.

Para auxiliar gestores de TI a identificarem as principais brechas de segurança que um app móvel pode ter, a OWASP (Open Web Application Security Project) listou os principais pontos de controle que um desenvolvedor deve ter na criação de um app. Por meio de 10 pontos de atenção, a organização sem fins lucrativos pretende auxiliar gestores de software e terem boas práticas de desenvolvimento e segurança. São eles:

  • Controles de segurança no servidor de dados falhos;
  • Armazenamento de informações inseguro;
  • Ausência de camadas de segurança na troca de dados;
  • Vazamento de dados sensíveis;
  • Uso de sistemas de autenticação e autorização fracos;
  • Quebra de criptografia;
  • Falhas de segurança no dispositivo do usuário;
  • Injeções no lado do cliente;
  • Má administração da sessão do usuário;
  • Controles de segurança fracos nos inputs de dados do usuário.

Como proteger a sua aplicação mobile

Com o aumento da integração de sistemas web, desktop e móveis, a necessidade de uma empresa de desenvolvimento ter políticas de segurança para aplicações mobile sólidas tornou-se ainda maior. Hoje, gestores de TI devem trabalhar para que as suas soluções sejam confiáveis em uma miríade de dispositivos e sistemas operacionais. Para que isso ocorra, uma série de práticas devem ocorrer. Abaixo, listamos algumas das principais adotadas pela indústria:

  • Utilização de sistemas de criptografia difíceis de serem quebrados;
  • Não armazenamento de dados sensíveis em locais inseguros, como cartões SD;
  • Sincronização e troca de dados feitas por meio de conexões seguras;
  • Uso de controles de segurança no servidor e no cliente;
  • Validação dos dados de entrada e saída;
  • Utilização de mecanismos de autenticação e autorização fortes e que não lidem diretamente com a senha do usuário (como o OAuth);
  • Restrições à utilização de recursos de terceiros;
  • Criação de uma política de privacidade sólida;
  • Atualizações constantes.

Práticas de segurança devem cobrir tanto os sistemas que são executados nos servidores da empresa quanto os dispositivos dos usuários. Como é impossível ter uma aplicação totalmente imune a falhas de segurança, é importante que os times de desenvolvimento e qualidade trabalhem juntos na busca por vulnerabilidades mesmo após o lançamento de uma solução, garantindo que o usuário estará sempre com a versão mais segura disponível em seu dispositivo. Além disso, toda a troca de dados deve ser feita utilizando métodos de encapsulamento e criptografia que consigam proteger as informações dos usuários. Isso deve ocorrer independente do meio utilizado para a troca de dados (APIs ou conexões HPPTs).

Já a validação dos certificados de segurança e dos inputs dos usuários deve sempre levar em consideração qualquer tipo de alerta de segurança. Muitas vezes, ataques graves são feitos por meio de algoritmos que infectam tais arquivos e “enganam” servidores e sistemas ao simularem uma aplicação segura para ter acesso a arquivos e informações privadas. Como não há garantias de que todos os usuários utilizam sistemas atualizados, o desenvolvedor deve se prevenir efetuando testes de segurança e criando rotinas que blindam os seus apps de qualquer falha de segurança no smartphone do usuário. Assim, para diminuir as chances de um vazamento ou roubo de informações, o armazenamento de dados deve ser evitado (especialmente em cartões de memória) e, quando for feito, deve utilizar métodos de segurança e criptografia.

Criando soluções em software e plataformas seguras e confiáveis 

Os serviços mobile tornaram-se fundamentais para a expansão de empresas nos últimos anos. Plataformas como Android e iOS fazem parte do nosso dia a dia, nos auxiliando a fazer desde tarefas triviais, como o envio de um e-mail até o processamento de transações financeiras. Diante disso, as companhias devem estar prontas para oferecerem soluções digitais que consigam ter uma boa experiência de uso e poucas (ou nenhuma) brecha de segurança.

E você, conhece alguma prática de segurança para aplicações mobile? Compartilhe conosco!

Tags

Deixe um comentário

topo
%d blogueiros gostam disto: