Suas aplicações são seguras?

Conheça a Conviso!

Os maiores desafios no gerenciamento da vulnerabilidade dos softwares empresariais

Os computadores se popularizaram de uma maneira impressionante nos últimos anos, fazendo parte da vida e do cotidiano de praticamente todas as pessoas do planeta. Porém, com essa massificação do uso, problemas também surgiram, como aqueles indivíduos que usam os conhecimentos em informática para o mal, que se propagaram quase que na mesma proporção, tornando cada vez mais complicado para pessoas e empresas se protegerem.

No caso dos softwares empresariais, as responsabilidades e desafios se tornaram tremendos. Quer conhecer um pouco melhor esse quadro? Confira o texto a seguir:

O grande desafio

O grande desafio com o gerenciamento de vulnerabilidades é que o alvo do problema sempre será muito maior que a capacidade de resposta da equipe de segurança de informações. Para que você mitigue as vulnerabilidades do seu software, é preciso manutenção contínua e inteiração com as outras equipes, como a de operações e a de administração de sistemas e redes, entre outras, para que possam ser feitas as mudanças necessárias de prevenção e correção das vulnerabilidades.

Esses grupos sabem que cada modificação pode virtualmente ser demorada e, possivelmente, exigir reboots ou paradas programadas. Como consequência, portanto, os prazos e prioridades são diferentes, reduzindo a possibilidade de resolver as vulnerabilidades de forma veloz. Por isso, um gerenciamento de vulnerabilidades só pode ser estabelecido, administrado e amadurecido com uma integração cada vez maior das equipes e atuação ininterrupta dos profissionais envolvidos.

Como prevenir problemas

É preciso manter uma linha de configuração de segurança para priorizar, descobrir e mitigar riscos. Um bom começo é fazer a documentação do estado atual do ambiente, inventariando sistema e aplicações, documentando a infraestrutura de segurança e acessos. Estabelecer baselines de configuração de segurança para cada componente da infraestrutura de TI também é desejável, bem como fazer periódicamente a varredura de vulnerabilidades internas de todo o ambiente e por fim, criar um plano de correção para as eventuais vulnerabilidades identificadas.

E quando o problema ocorre?

Quando já não foi possível prevenir os danos, outras atitudes precisam ser tomadas. Esse gerenciamento requer um fluxo de trabalho automatizado ou manual e você precisa ou corrigir essa vulnerabilidade ou desativar a que está propiciando o problema. Para isso, ou desinstale os componentes vulneráveis ou altere as configurações do sistema, evitando a ocorrência de novos casos.

Esteja sempre atento

Deixar uma vulnerabilidade sem tomar uma ação é um risco que as empresas não podem correr. O problema pode multiplicar-se e o quadro se tornar incontrolável. A equipe de segurança e TI deve estar atenta e prestar relatórios contínuos da situação.

O líder das equipes tem papel fundamental nesse campo, pois deve estimular o compromisso e a atenção aos procedimentos necessários para que se mantenha a segurança dos softwares. É preciso deixar claro a seriedade nessa abordagem e que a empresa não abre mão da sua segurança. Instituir forte proteção de perímetro e outras formas de proteção, independentemente de ameaças externas e internas. Gerenciamento de vulnerabilidade deve ser, portanto, um elemento fundamental para a gestão da segurança da informação.

Como você enfrenta as ameaças aos softwares em sua empresa? Tem alguma outra dica ou dúvida? Compartilhe conosco, deixando um comentário!

Originalmente postado no Blog da Conviso Application Security – Siga-nos no Twitter @conviso Google+

Tags

Deixe um comentário

topo
%d blogueiros gostam disto: