Suas aplicações são seguras?

Conheça a Conviso!

Modelagem de ameaças de segurança – Entenda a importância

Garantir a segurança dos dados do negócio é uma preocupação que as empresas devem levar ainda mais em conta diante do cenário atual de evolução das ameaças e possibilidades de sofrer ataques ao sistema. No entanto, a segurança online não se resume a tomar uma medida definitiva, nem depende exclusivamente de um método, técnica ou ferramenta utilizada. É preciso, sobretudo, entender quais são as ameaças para efetivamente se proteger contra elas. E a modelagem de ameaças é uma forma de pôr isso em prática. Estruturar um modelo para lidar com as ameaças implica refletir sobre o problema dividindo ele por partes. Ter uma modelagem de ameaças significa ter uma abordagem estruturada para combater esses problemas e, assim, aumentar as chances de ser eficaz quanto à manutenção da segurança da empresa. A seguir, entenda a importância da modelagem e conheça os benefícios dessa atitude de prevenção!

Estimar as ameaças ajuda a minimizar os riscos

Pensar numa modelagem de ameaças é identificar as falhas e vulnerabilidades na segurança dos dados da empresa e ir aprimorando esse aspecto do sistema a fim de evitar ao máximo os ataques danosos que causam prejuízos e desequilíbrio ao negócio. Para isso, é preciso ir gerenciando os riscos, aprimorando o modelo, aprendendo com erros e evitando que sejam repetidos. 

Quando a empresa pode contar com um modelo de abordagem estruturado e conhece objetivamente quais ameaças existem, quais as probabilidades de sofrer ataques e quais os riscos envolvidos nisso, tem maiores chances de manter com eficácia a segurança dos dados do negócio. Aliás, não é de hoje que as organizações percebem os benefícios de investir em segurança. 

Modelagem de ameaças não é um processo definitivo 

Identificar ameaças é gerenciar riscos. Nesse sentido, desenvolver uma modelagem de ameaças é uma tarefa progressiva, que tem continuidade mesmo depois que o modelo já estiver pronto. Isso porque as ameaças evoluem e é necessário reajustar o modelo para conseguir acompanhar as transformações sem expor a organização a riscos. 

Elaborar um modelo para lidar com as ameaças é pensar com antecipação sobre a melhor maneira de tratar o problema, permitindo que se possa exercer um maior controle quanto à proteção dos dados. Simplesmente ignorar os problemas de segurança não é uma alternativa, pois a partir do momento que as informações de uma empresa passam a fazer parte de uma rede, até mesmo uma rede interna, os cuidados com a segurança deve ser redobrados. 

Saber o que proteger, de quem proteger e as probabilidades de ocorrer um ataque

Um dos passos para trabalhar com um modelo de ameaças implica identificar as áreas da empresa que é preciso proteger: banco de dados com informações sobre clientes? Dados que trafegam na rede? Páginas da empresa na internet? 

Trabalha a partir da modelagem de ameaças é assumir uma postura preventiva contra ataques e saber com o que está lidando. Conhecer os oponentes é uma estratégia para melhor combatê-los, afinal, como se prevenir contra algo que não se conhece? 

Por isso, é fundamental, considerando as necessidades de segurança da empresa e as particularidades do negócio, saber o que se quer proteger (dados e informações), onde estão guardados e quem tem acesso a esse conteúdo. Além disso, é importante saber quem poderia atacar o sistema, quais consequências a empresa sofreria caso houvesse um ataque e quais são as probabilidades de que algo assim aconteça. 

Quando se trabalha com uma escala de probabilidade de ocorrência e se define o potencial das ameaças é possível estabelecer prioridades com mais clareza e, assim, determinar os esforços com que cada ameaça deve ser tratada. 

Não ter uma modelagem de ameaças sai ainda mais caro

Dentre as principais vantagens de assumir uma atitude preventiva está o fato de que a modelagem afeta o aproveitamento dos recursos investidos. Ter controle sobre as ameaças permite modificar o contexto que favorece a atuação dos fraudadores, inibindo o surgimento de vulnerabilidades e minimizando a ocorrência de ataques. 

Vale lembrar que esclarecer quais são as ameaças e os riscos que afetam uma organização são definições particulares de cada negócio. A percepção de que existem riscos e que estes representam um problema para a empresa é essencial para motivar medidas de prevenção e controle, como a modelagem de ameaças, por exemplo. E se o intuito é realmente garantir que os dados corporativos mantenham-se protegidos, vale a pena conhecer as melhorespráticas em segurança de aplicações

Agora que você já sabe mais sobre a importância da modelagem de ameaças quer compartilhar alguma experiência da sua empresa com o tema? Tem dúvidas? Fique à vontade para comentar, participe! 

 Originalmente postado no Blog da Conviso Application Security – Siga-nos no Twitter @conviso Google+

Tags

Deixe um comentário

topo
%d blogueiros gostam disto: