Suas aplicações são seguras?

Conheça a Conviso!

6 dicas de segurança no desenvolvimento de softwares

A segurança no desenvolvimento de softwares deve levar em consideração diversos fatores. As necessidades do cliente, o público-alvo e a exigência de entrega de builds rápidas são apenas alguns detalhes da rotina de um time de desenvolvimento. O cuidado com a segurança, por exemplo, é indispensável nas aplicações modernas.

Mesmo no caso de apps mobile simples, não podemos ignorar a necessidade de trabalhar com métodos de desenvolvimento seguros. A importância dada para a segurança da informação aumenta a confiabilidade do software final. Em um universo onde o compartilhamento de informações pela internet e entre aparelhos faz parte do dia a dia dos usuários de smartphones, tablets e computadores, a segurança digital será fundamental para a criação de novas soluções de TI.

No texto de hoje, falaremos um pouco mais sobre as melhores práticas para quem procura desenvolver apps mais seguros e como garantir que a sua equipe crie ferramentas confiáveis. Acompanhe:

Segurança no desenvolvimento de softwares – Melhorando a criação de soluções digitais

A segurança digital é cada vez mais importante para quem trabalha com a criação de sistemas. Das primeiras etapas de desenvolvimento à implementação e distribuição de uma ferramenta, as práticas de segurança desempenham um papel importante para garantir que o usuário final possa ter acesso a uma ferramenta confiável. Entre as principais rotinas de desenvolvimento de uma ferramenta segura podemos destacar:

Utilize métodos seguros de transferência e armazenamento de dados

A política de segurança é a base de qualquer rotina que busque mais confiabilidade para os seus serviços digitais. Parte delas envolve o uso de práticas como o PCI-DSS, que aumentam a confiabilidade das trocas de informações. A confidencialidade de uma operação de comunicação, por exemplo, é feita com o uso de métodos de criptografia modernos.

Já o aumento da integridade e autenticidade dos dados é feita com rotinas de verificação de pacotes de dados. Dessa forma, seja no armazenamento, processamento ou troca de arquivos e informações, tanto o remetente quanto o destinatário terão a certeza de que a conexão utilizada é 100% segura. Assim, a captura e o roubo de dados sensíveis são evitados.

Tenha um ambiente de desenvolvimento seguro

Uma companhia que lida com o desenvolvimento de ferramentas de TI não deve trabalhar apenas em busca de mais segurança digital. Ter ambientes físicos livre de vulnerabilidades também é necessário. O acesso aos setores relacionados à criação de um sistema deve ser controlado. Além disso, os servidores devem estar isolados para evitar o seu uso por pessoal não autorizado.

Use métodos de desenvolvimento seguros

Todo programador tem um método de desenvolvimento preferido. Independentemente de um time escolher trabalhar com um método ágil ou mais tradicional, ele deve ser adaptado em busca de práticas mais seguras. Assim, sempre que for verificar um código, o engenheiro de software deve rastrear possíveis falhas e brechas que possam comprometer a segurança digital do usuário.

A mesma atenção deve ser dada para o tamanho dos buffers e os arrays de software, que não devem comprometer a experiência de uso. Além disso, os códigos de erro durante a compilação devem ser rastreados e solucionados rapidamente.

Sempre revise o código em busca de brechas

O desenvolvimento de sistemas que precisem resistir a ataques mal-intencionados deve englobar uma série deatividades preventivas concentradas na resistência às tentativas de roubo de informações. Entre elas, podemos incluir a realização constante de revisões no código, que podem ser feitas com softwares automatizados ou pela equipe de segurança digital da companhia.

Durante a etapa de definição do design do software, a equipe de programadores deve implementar o uso de modelos de ameaças. Eles vão orientar os desenvolvedores durante os testes e revisões de código. Além disso, ao realizar os testes de segurança, os ataques mais tradicionais devem ser efetuados para garantir que o programa seja confiável.

Use KPIs para avaliar o seu time

Os KPIs são métricas utilizadas para avaliar o desempenho de um setor ou equipe durante um projeto. Por meio dele, os colaboradores podem conhecer melhor a sua evolução no aprendizado de novas técnicas de trabalho. Para o gestor, o KPI representa uma maneira simples de mensurar com mais precisão o conhecimento e o desempenho do seu time.

Quando falamos de segurança digital, os KPIs podem ser utilizados para atribuir padrões de segurança no projeto. Assim, os times podem trabalhar em busca de novos métodos de segurança no desenvolvimento de softwares que o protejam das ameaças mais comuns do mundo digital, como vírus e SQL injections.

Adote o SDL

O SDL (Security Development Lifecycle, ou Ciclo de Desenvolvimento Seguro, em português) é um processo de desenvolvimento adotado pela Microsoft que envolve o uso de diversos produtos e atividades visando a criação de um sistema seguro. Por meio da integração de medidas e a verificação de processos de uma organização, o método procura auxiliar companhias a criarem aplicações mais seguras.

O SDL é dividido em sete etapas, que são:

 
  • Treinamento: envolve o treinamento de todos os membros da equipe de tal forma que todos estejam cientes dos princípios e tendências de segurança e privacidade modernos.
  • Requisitos: consiste na verificação dos requisitos necessários para garantir que a segurança e a privacidade do usuário seja total. Além disso, é estabelecido um sistema de rastreamento de bugs de segurança para garantir a resolução rápida de problemas.
  • Design: utilizada para analisar a superfície de ataque da aplicação e produzir um modelo com as principais ameaças do software.
  • Verificação: desenvolvida para a realização de testes, verificação de código e inspeção da documentação. Ela pode ser feita por meio de ferramentas automatizadas ou por profissionais terceirizados.
  • Lançamento: envolve a criação de um plano de ação que vai preparar a equipe de suporte a solucionar problemas. A equipe responsável pelo tratamento de incidentes mais graves que envolvam a segurança da informação também deve estar preparada para minimizar danos rapidamente.
  • Resposta: nessa etapa, quaisquer bugs ou falhas encontradas após a distribuição do software são rastreadas e tratadas.
  • Confiabilidade e estabilidade.
 

Criando ferramentas confiáveis

A qualidade de um programa pode ser mensurada de diversas maneiras. Estabilidade, confiabilidade, baixo número de falhas e atualizações constantes são algumas das caraterísticas que definem um bom programa. E a segurança de uma aplicação pode definir o seu sucesso em mercados cada vez mais competitivos.

Na era da informação, os ataques a computadores, tablets e celulares são cada vez mais frequentes. Nesse cenário, o desenvolvedor é obrigado a oferecer aplicativos mais seguros para os seus usuários. E quando falamos do Brasil, um dos países mais vulneráveis do mundo, a implementação de processos de segurança e as boas práticas de desenvolvimento tornam-se ainda mais importantes. Assim, ao criar ferramentas confiáveis o nosso bem mais importante no mundo digital, a informação, será protegido.

O gerenciamento dos times na busca de processos de segurança no desenvolvimento de softwares mais seguros tem feito parte da rotina de diversas empresas. É o caso da sua? Compartilhe conosco!

Veja também:

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo