Suas aplicações são seguras?

Conheça a Conviso!

Open Source vs Closed Source: diferenças de vulnerabilidade e segurança

Há algumas décadas, o boom tecnológico chegou às empresas para implantar soluções utilitárias que se tornariam indispensáveis no âmbito administrativo. No entanto, essas facilidades vieram acompanhadas de incertezas em relação à segurança das informações, cujo gerenciamento tornou-se fundamental.

Entre os assuntos mais discutidos na área de TI, está o debate entre o Open Source e o Closed Source. Nesse contexto, a vulnerabilidade de cada tipo de software é a questão mais sujeita a análises e a controvérsias.

Você quer mais informações sobre a segurança desses códigos? Então, saiba mais sobre a batalha entre Open Source vs Closed Source!

Open Source vs Closed Source?

O Open Source ― ou código aberto ― é um sistema de licenciamento de software cuja característica principal é a disponibilização do código-fonte aos usuários. Logo, qualquer indivíduo ou organização pode estudá-lo, utilizá-lo ou modificá-lo, seguindo as condições de uso e de distribuição pré-definidas pelo desenvolvedor original.

Já o Closed Source ― também conhecido como código fechado ou software proprietário ― corresponde a todo software com código-fonte suprimido e/ou com restrições em relação à sua manipulação. Devido a essas limitações, as informações referentes ao seu desenvolvimento são de difícil acesso.

Ambos oferecem prós e contras em um ambiente de TI. Enquanto o Open Source é gratuito, independente e oferece liberdade de personalização, o Closed Source possui maior credibilidade em relação à confidencialidade das informações.

O Open Source é um código vulnerável?

Essa discussão divide opiniões. Por um lado, como o código aberto não é desenvolvido em um ambiente controlado, algumas pessoas acreditam que programadores mal-intencionados teriam mais facilidade para implantar e ocultar mecanismos maliciosos.

Por outro lado, como o código-fonte do Open Source está totalmente disponível à comunidade, todos os usuários têm liberdade para analisá-lo e identificar possíveis vulnerabilidades plantadas intencionalmente.

É preciso ter em mente: nada é absoluto. A segurança de um software envolve inúmeros fatores e, sob um correto gerenciamento, ambos podem gerar resultados positivos.

O Closed Source garante a segurança das informações?

Nada no mundo digital é permanentemente invulnerável, mas, sem dúvida, é possível elevar essa segurança à potência máxima.

Há quem defenda o Closed Source como mais seguro, devido às restrições de acesso ao seu código-fonte. Porém, sem cumprir os requisitos de segurança, ele também está exposto a bugs (falhas) e à invasão de programas mal-intencionados.

Esteja atento: todos os softwares precisam ser avaliados e acompanhados regularmente para manter os sistemas protegidos. Se eles estão seguros hoje, podem não estar amanhã. O monitoramento é a melhor forma de fugir dos crimes cibernéticos.

Como escolher o melhor software?

O debate Open Source vs Closed Source abre espaço para opiniões diversificadas. Ambos oferecem privilégios e desvantagens em termos de segurança, serviço, inovação, usabilidade e relação entre custo e benefício.

Portanto, é interessante buscar assistência especializada para implantar as soluções mais seguras na sua empresa. Analise seus softwares regularmente! Essa proatividade reduzirá os riscos de brechas e de espaços para a invasão.

Gostou de saber mais informações sobre Open Source vs Closed Source? Então não deixe de compartilhar este post em suas redes sociais e fazer com que mais pessoas também saibam!

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo