Entenda por que testar é só o primeiro passo em direção à segurança

primeiro passo em direção à segurança

Durante o desenvolvimento de uma nova ferramenta de software, os testes de segurança estão entre as principais atividades das equipes envolvidas no projeto. Eles são a melhor forma de garantir que um aplicativo tenha baixo índice de falhas de segurança. Assim, será possível criar uma solução digital com sólida proteção contra ataques e ameaças digitais.

Entretanto, os testes não são a única forma de ficar seguro. Um time de programação focado na segurança fará uso de outras táticas de proteção para garantir que todas as suas etapas de desenvolvimento estejam voltadas à diminuição do risco de ameaças digitais ao usuário. Quer saber mais? Então leia o nosso texto de hoje!

Softwares seguros

A segurança de aplicativos e ferramentas digitais tornou-se um tópico constante no mundo da tecnologia. Os recentes vazamentos de dados aumentaram a pressão para que empresas criassem softwares que fossem seguros desde a sua concepção inicial. Para quem trabalha com o desenvolvimento de aplicativos, uma das principais formas de garantir a funcionalidade de bons padrões de segurança são os testes de software.

Eles podem verificar a capacidade de uma ferramenta efetuar trocar de dados seguras, não ser atingida por tentativas de invasão ou modificação não autorizada de dados. Em um mundo em que dependemos de aplicações para diversas atividades do dia a dia, é indispensável utilizar apps confiáveis.

É justamente por isso que o teste de segurança é visto como uma forma de transmitir confiança para o usuário final, para que ele opere uma ferramenta capaz de resistir a ataques, falhas de autenticação e erros de funcionamento.

Como realizar um teste de software

O teste de segurança digital pode ser feito com várias rotinas. Entre as principais, podemos destacar:

  • Uso de ferramentas automatizadas de verificação de código.
  • Designação de uma equipe independente para avaliação do novo projeto.
  • Realização de testes de penetração.
  • Condução de verificações constantes para garantir que o código faça uso de mecanismos modernos de segurança.

Testes não devem ser a única prioridade

Empresas sempre devem estar reavaliando as suas posições em termos de segurança digital. Assim, é possível identificar pontos que necessitam de melhorias antes que eles se tornem uma fonte de prejuízos.

Por meio da revisão de códigos, análise de riscos e testes de penetração, uma empresa pode identificar melhor quais são as áreas que devem ser otimizadas. Isso cria a base para a manutenção de uma boa política de segurança, mas não deve ser encarado como as únicas medidas necessárias para aumentar a confiabilidade de sistemas digitais.

Entre as outras formas de aumentar a segurança digital de um aplicativo, podemos destacar:

  • Revisão constante das funções de segurança de uma ferramenta.
  • Revisão automatizada e manual de código.
  • Manutenção de uma lista com os principais bugs e falhas que devem ser corrigidos.
  • Manter uma política de design review para aplicações críticas.
  • Sempre ter um modelo de ameaças para uma nova ferramenta.
  • Realização de atualizações constantes com melhorias de segurança e correção de bugs.
  • Documentação de brechas de segurança rastreadas e os métodos utilizados para a sua resolução.
  • Utilização de padrões, métodos e políticas de desenvolvimento focadas em segurança e privacidade digital.

Aumenta a confiabilidade do trabalho de desenvolvimento

Hoje, o portfólio de aplicativos das empresas está cada vez mais diversificado. São ferramentas de gestão, produção e manutenção de ativos com inúmeras funcionalidades. Cada uma delas lida com um número grande de informações, o que — em um país assolado por criminosos virtuais — aumenta a necessidade de acesso a softwares com altos padrões de segurança.

Diante disso, empresas de desenvolvimento passaram a melhorar as suas rotinas. A presença de testes de segurança tornou-se comum em diversos locais, uma vez que essa prática permite a verificação em tempo real da capacidade de um novo aplicativo resistir a ataques, tentativas de acesso não autorizado e de roubo de dados. Entretanto, essa não é a única forma de manter-se protegido. Além dos testes de segurança, outras práticas podem ser incorporadas para garantir a criação de aplicativos seguros, confiáveis e robustos.

E você, já usa outras práticas além dos testes de software na sua empresa? Compartilhe!

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo